O COTIDIANO DE UMA CIDADE VIOLENTA: REPRESENTAÇÕES DE LUZIÂNIA SEGUNDO OS ALUNOS DO IFG

Marizângela Aparecida de Bortolo Pinto, Caroline Soares Santos, Ananda Soares e Melo Pulga, Rayanne Lisboa de Oliveira

Resumo


O projeto tem como objetivo principal identificar e discutir as representações elaboradas da violência em Luziânia pelos alunos do IFG. De acordo com o Mapa da Violência (2013) Luziânia apresenta-se entre os 200 municípios com maiores indicadores de violência homicida do país. Diante de tal cenário, torna-se imprescindível explorar o cotidiano dos alunos tidos como objetos de análise desse projeto. O trabalho justifica-se já que as informações levantadas poderão fomentar estratégias de intervenção a essa realidade pelas instituições de segurança e planejamento municipal. A metodologia consistiu na realização de uma pesquisa exploratória com 309 alunos, onde, de maneira mais aprofundada, realizou-se uma entrevista semiestruturada com 8 alunos para o reconhecimento das representações relacionadas pelos entrevistados sobre a sua cidade. Assim, foram discutidos conceitos e aspectos que definem o objeto de estudo, tais como Violência, o processo de urbanização, representações de risco e insegurança estabelecidos pela população a partir do seu cotidiano. Os resultados mostram que o medo e a insegurança fazem parte do cotidiano de 86% dos alunos. Contudo, chamam a atenção o fato de muitos reconhecerem o papel do Estado e da mídia no estabelecimento desse cenário.


Palavras-chave


Cotidiano, Representações, Cidade Violenta, Luziânia

Texto completo:

PDF

Referências


BAUMAN, Z. Confiança e Medo na Cidade. Rio de Janeiro: Zahar, 2009.

BORTOLO PINTO, Marizângela A. de; PELUSO, Marília. L. A metrópole e os territórios da violência: aproximações ao território da violência homicida no entorno do Distrito Federal. Scripta Nova, Barcelona, v. XVIII, p. 1/29-18, 2014. Disponível em: http://www.ub.edu/geocrit//sn/sn-493/493-29.pdf. Acesso em: 01 de fev. 2015.

GIDDENS, A. As Consequências da Modernidade. São Paulo: Ed. Unesp, 1991.

IBGE. Censo Demográfico 2010. Disponível em: . Acesso em: 20 mar. 2014.

MISSE, Michel. Crime e Violência no Brasil Contemporâneo. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2011.

PORTO, Maria Stella Grossi. A violência entre a inclusão e a exclusão. Tempo Social, Rev. Sociologia. USP, S. Paulo, 12(1): 187-200, maio de 2000.

WIEVIORKA, M. O Novo Paradigma da Violência. Tempo Social, vol. 9 (1), 1997.

ORGANIZATION WORLD HEALTH ORGANIZATION. World Report on Violence and Health. Geneva, 2002. Disponível em: http://whqlibdoc.who.int/hq/2002/9241545615.pdf.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.