DIVERSIDADE CULTURAL E DIREITOS HUMANOS NO CEF 201 SANTA MARIA NO DISTRITO FEDERAL

Cícero Batista dos Santos Lima

Resumo


 O tema, “A inclusão de Jovens e Adultos com Necessidades Específicas na EJA no Centro de Ensino Fundamental 201 de Santa Maria no Distrito Federal: Acolhimento e Pertencimento” é pauta do referido trabalho cujo enfoque demanda a necessidade dessa Instituição de Ensino dar prioridade, de forma mais acentuada, a questão da diversidade cultural e dos direitos humanos, no sentido de trabalhar o contexto dentro de uma perspectiva cultural partindo do entendimento que a diversidade é algo complexo que precisa ser não só repassada ao apenas assimilada, mas absorvida e incorporada por todos que fazem parte da comunidade escolar de forma processual, dinâmica e ética. Todavia, a escola é o lugar onde podemos nos deparar com uma série de relações de diversas origens sociais e culturais, portanto, é o ambiente propício para discussões, debates, questionamentos e análises acerca das situações de conflitos que porventura a mesma venha necessitar, visto que a comunidade escolar é toda ela composta por diferentes grupos sociais que emergem dos mais variados setores da sociedade, onde cada membro possui histórias, seus valores, suas crenças individuais as quais precisam ser respeitadas e toleradas pelos demais membros do grupo.

 


Palavras-chave


aluno; diversidade cultural; direitos humanos; deficiência; escola; EJA; inclusão; professor;

Texto completo:

PDF

Referências


ARROYO, Miguel. A Educação de Jovens e Adultos em tempos de exclusão. Alfabetização e Cidadania. São Paulo: Rede de Apoio à Ação Alfabetizadora do Brasil (RAAAB), n. 11, abril 2001.

ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. 2. ed. Brasília: Editora da UnB, 1992.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Superior Tribunal de Justiça, 2014. 113p.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Parecer n. 11 de 10 de maio de 2000. Institui as Diretrizes Nacionais para a Educação de Jovens e Adultos. Disponível em Acesso em 25 ago 2013.

BRASIL. MEC. Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Disponível em: . Acesso em: 12 outubro 2015.

BECKER, Fernando. Freire e Piaget em Relação: um ensaio interdisciplinar. In: Educação e debate, Mauá, ano 1, n. 0, mar. 1998.

CORREIA, C. S. V; HEIDRICH, E. M. C; RATEKE, F. G. A permanência do sujeito na EJA: a condição de grupo e a afetividade no cotidiano escolar. 2007. Monografia (Especialização em Educação Profissional Técnica). Centro Federal de Educação Tecnológica de Santa Catarina. Curso de Especialização em Educação Profissional Técnica, Florianópolis, 2007.

CARRANO. Paulo César Rodrigues. Identidades Juvenis e Escola. Alfabetização e Cidadania. São Paulo: Rede de Apoio à Ação Alfabetizadora do Brasil (RAAAB), n. 10, nov. 2000.

DUBET, François. A Escola e a exclusão. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 119, jul. 2003.

DURANTE, Marta. A alfabetização de adultos – leitura e produção de textos. Porto Alegre: Artemed, 1998.

FERREIRA, W. B. EJA & Deficiência: estudo da oferta da modalidade EJA para estudantes com deficiência. In: AGUIAR, M. A. da S. (org.) Educação de Jovens e Adultos: o que dizem as pesquisas. Recife: UFPE – MEC/SECAD, 2009. Disponível em Acesso em 02 Mai 2012.

FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler. São Paulo: Vozes, 1985.

_______. Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

_______. Conscientização – teoria e prática da libertação. São Paulo: Moraes, 1980.

GADOTTI, Moacir. A educação contra a Educação. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

G1 DF. Grupo protesta por melhorias no DF e fecha acesso a terminal de ônibus. G1, Brasília, 28 de abril de 2015, G1 Distrito Federal. Disponível em . Acesso em: 9 de outubro de 2015.

GUHUR, Maria de Lourdes Perioto. A manifestação da afetividade em sujeitos jovens e adultos com deficiência mental: perspectivas de Wallon e Bakhtin. Rev. bras. educ. espec., Marília, v. 13, n. 3, dez. 2007. Disponível em . acessos em 25 ago. 2013. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-65382007000300006.

HENRIQUES, Ricardo. Raça e gênero nos sistemas de ensino. Brasil. Rio de Janeiro: Unesco, 2002.

IRELAND, Timothy. Escolarização de trabalhadores: aprendendo as ferramentas básicas para a luta cotidiana. In: OLIVEIRA, Inês B., PAIVA, Jane (orgs.) Educação de Jovens e Adultos. Rio de Janeiro: DP&A, 2004.

LOURENÇO FILHO, R. C. B. e LOURENÇO FILHO, M. C. B. Notícia Bibliográfica de Lourenço Filho. In: Um educador brasileiro: Lourenço Filho. Livro Jubilar. São Paulo: Melhoramentos, 1959, p. 190.

LAFFIN, M. H. L. F. Reciprocidade e acolhimento na educação de jovens e adultos: ações intencionais na relação com o saber. Revista Educar, Curitiba , n. 29, 2007. Disponível em . acessos em 25 ago. 2013. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-40602007000100008.

LALANDE, André. Vocabulário técnico e crítico da filosofia. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

_______. Lei de Diretrizes e Bases da Educação nº 5692 de 11.08.71, capítulo IV. Ensino Supletivo. Legislação do Ensino Supletivo, MEC, DFU, Departamento de Documentação e Divulgação, Brasília, 1974.

ANDRE, Marli. Pesquisa em educação: buscando rigor e qualidade. Cad. Pesqui. [online]. 2001, n.113

NEVES. Fabrício Monteiro. O método Lancasteriano e o projeto de formação disciplinar do povo (São Paulo, 1808-1889). 2003. 293 f. Tese (Doutorado em História) Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Assis, 2003.

PHILONENKO, Alexis. Introduction et Notes. In: KANT, Immanuel. Réflexions sur L'Éducation. Paris: Librairie Philosophique J. Vrin, 1966.

SADER, Emir Simão. A Transição do Brasil: Da Ditadura a Democracia, Atual. Rio de Janeiro. 1991.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A crítica da razão indolente: contra o desperdício da experiência. São Paulo: Edipro, 2000.

SILVA, Cármen S. Miranda. Programas Habitacionais para Famílias de Baixa Renda, o caso do Programa Socorro Social: efetivação de um direito ou clientelismo? Brasília: Universidade de Brasília, 2007. 5p.

SOUZA, Vanira Fernandes. Impacto do Processo de Ocupação Urbana ao Meio Ambiente do Distrito Federal. Brasília: UniCEUB, 2002. 20p.

VYGOTSKY. Lev Semenovich. Pensamento e Linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1988.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.