AFINANDO AS CORDAS: CONTEXTO DE PRODUÇÃO E CUSTO HUMANO DO TRABALHO DOS MÚSICOS DE UMA ORQUESTRA DE CORDAS

Ligia Rocha Cavalcante Feitosa

Resumo


A atividade de trabalho dos músicos requer muita disciplina e técnica, encontrando nesse cenário, possibilidade de surgimento do quadro de lesões e dores. Explorou-se neste estudo piloto a pertinência do método e instrumentos da pesquisa que busca verificar a relação entre o contexto de produção e o custo humano do trabalho dos músicos de uma Orquestra de Cordas. Participaram oito músicos da orquestra, com idades entre 18 e 26 anos, dos sexos masculino e feminino, e todos acadêmicos do curso de Música. Os resultados apontaram algumas limitações na escolha do método, permitindo uma discussão parcial a respeito da dimensão organização do trabalho como fator para o aumento do custo físico dos músicos de cordas, apontando também a necessidade de futura agenda de pesquisa.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, Edson Queiroz; FONSECA, João Gabriel Marques. Artista-atleta: reflexões sobre a utilização do corpo na performance dos instrumentos de cordas. Per Musi, 2000. Disponível em http://www.musica.ufmg.br/permusi/port/numeros/02/num02_cap_07.pdf. Acesso em: 20 de dezembro de 2010.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BAUER, Martin, & GASKELL, George. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: Um manual prático (5a ed.). Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

BORTZ, Graziela. Música e trabalho orquestral: um paradoxo? Revista de Cognição e Artes Musicais, 2008. Disponível em http://www.abcm.ufpr.br/revista.htm. Acesso em: 20 de dezembro de 2010.

BRASIL. Secretaria de Políticas de Saúde. Departamento de Ações Programáticas e Estratégias. Protocolo de investigação, diagnóstico, tratamento e prevenção de lesões por esforços repetitivos distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho. Brasília, DF: Ministério da

Saúde, 2000.

CORLETT, E. N., MANENICA, I. The effects and measurement of working postures. Applied Ergonomics, Trondheim, v. 11, n. 1, p. 7-16, march. 1980.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.